EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COMO ESPAÇO FORMATIVO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS

Nathália Barros Ramos, Shirleide Pereira da Silva Cruz

Resumo


O texto busca apresentar e discutir as concepções de extensão universitária, analisando alguns documentos oficiais que alicerçam a extensão universitária no Brasil, em um processo de curricularização e favorecimento da formação de professores inicial e continuada. Os documentos apontam para problemática da curricularização da extensão. Mas a crítica que se faz e que emerge desses documentos é a falta de clareza quanto à concepção de extensão adotada pelas bases normativas, bem como a falta de discussão dessa concepção pelas universidades e até mesmo pela sociedade civil organizada. Os documentos normativos da formação inicial de professores ressaltam a importância da extensão universitária no percurso formativo desses professores, embora esse não seja um espaço privilegiado pelas instituições de ensino superior e até mesmo pela universidade. É perceptível nesses documentos o favorecimento de uma formação universitária no processo de formação inicial de professores.


Palavras-chave


Extensão Universitária; Formação de Professores; Formação Inicial

Texto completo:

PDF

Referências


ANFOPE - Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação. Boletim ANFOPE, ano VII, n .l4, maio de 2001.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília-DF, 1988.

________. Lei 9.394 de 20 de dez. de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília-DF, 1996.

________. Lei 13.005 de 25 de jun. de 2014. Plano Nacional de Educação. Brasília-DF, 2014

________. Resolução CNE/CP nº 1, de 15 de mai. de 2006. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, Licenciatura. Brasília-DF, 2006.

________. Resolução CNE/CES Nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira. Brasília – DF, 2018.

CURADO SILVA, K.A.C.P.C.A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA PERSPECTIVA CRÍTICO-EMANCIPADORA. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 17, n. 32, p. 13-31, jan./abr. 2011.

FORPROEX. POLÍTICA NACIONAL DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Manaus, 2012.

________. Plano Nacional de Extensão Universitária 2011. Disponível em: http://pdi.ufabc.edu.br/wp-content/uploads/2011/09/Plano-Nacional-de-Extensão-Universitária-2011-2020.pdf

_____________. l ENCONTRO DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Universidade de Brasília-UnB, Brasília, 1987.

FREIRE, Paulo. Educação Como Prática de Liberdade. 5º ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1967.

________. Extensão ou comunicação?. Tradução de Rosisca Darcy de Oliveira. 7ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983

REIS, R. H. O CURRÍCULO ENQUANTO INSTRUMENTO VIABILIZADOR DA ARTICULAÇÃO-ENSINO-PESQUISA-EXTENSÃO. Caderno de Extensão Universitária, Rio de Janeiro, v. 04, n. 1995.

_________. REIS, R. H. EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: CONCEITUAÇÃO E PRÁXIS. I Fórum de Extensão da UDESC. UDESC, Florianópolis, 1993.

___________. HISTÓRICO, TIPOLOGIA E PROPOSIÇÕES SOBRE A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL. Revistas Linhas Críticas, BRASÍLIA, v. 02, n. 1996.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2020v18i2.1881

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Nathália Barros Ramos, Shirleide Pereira da Silva Cruz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.