O MODAL FERROVIÁRIO E A IMPORTÂNCIA DE REVITALIZAÇÃO DA MALHA PARA TRANSPORTE DE PASSAGEIROS: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Isadora de Paula Bastos

Resumo


 

O transporte ferroviário brasileiro viveu durante muitos anos grande descaso por conta do crescimento do transporte rodoviário e pela falta de investimentos na modernização de sua malha. Contudo, após o processo de concessões, ocorrido no início da década de 90, o transporte ferroviário passou a viver uma nova realidade, com um maior investimento, já que as empresas que foram desestatizadas melhoraram seus indicadores e conseguiram se tornar mais competitivas no mercado. Atualmente, dentro desse contexto, a maior parte da malha ferroviária brasileira é usada para o transporte de cargas e um volume muito pequeno para o transporte de passageiros, normalmente aproveitado para o turismo. Porém, se algumas das linhas fossem revitalizadas para o tráfego de pessoas, conseguiríamos minimizar os congestionamentos, os impactos ambientais, o tempo de viagem, oferecer maior conforto, segurança, oferecendo com isso grande incentivo ao transporte público. O presente estudo traz uma pesquisa teórica sobre o assunto. Espera-se que os resultados, auxiliem outras pesquisas sobre o assunto.


Palavras-chave


transporte; revitalização; ferrovias

Texto completo:

PDF

Referências


ANTF - Agência Nacional de Transportes Ferroviários. As Ferrovias e o Futuro do país. 2015.

ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres. Programa de Resgate do Transporte Ferroviário de Passageiros. 2007. Disponível em: . Acesso em 08 de março de 2016.

BARROS, J. M. F. M. - AVALIAÇÃO DOS PRINCIPAIS MÉTODOS ANALÍTICOS DE CÁLCULO DE CAPACIDADE DE TRÁFEGO UTILIZADOS EM FERROVIA NACIONAL E INTERNACIONAL. Escola de Engenharia da UFMG, Belo Horizonte, 2013.

BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Transporte Regional Ferroviário de Passageiros. Área de Projetos de Infraestrutura. Março, 1998.

BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Dimensionamento do Potencial de Investimentos do setor Ferroviário. 2006.

CASTRO, N. Privatização do Setor de Transportes no Brasil. BNDES, 2000.

CNT – Confederação Nacional do Transporte. Multimodalidade e as Hidrovias no Brasil. 2000.

CNT-Confederação Nacional de Transportes. Transporte de Passageiros. 2002.

CNT – Confederação Nacional do Transporte. O Sistema Ferroviário Brasileiro. Transporte e Economia, 2013.

DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes. Negócio nos trilhos. ENCONTREM, 2006.

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. 2010. Disponível em: . Acesso em 09 de março de 2016.

LANG, A. E. As Ferrovias no Brasil e Avaliação Econômica de Projetos: uma Aplicação em Projetos Ferroviários. Dissertação de Mestrado. UnB. 2007.

Ministério dos Transportes. Matriz de Transportes: presente e futuro 2010. Trabalho apresentado no II Encontro de Ferrovias de Vitória, 2010.




DOI: https://doi.org/10.21576/pa.2019v17i3.920

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Isadora de Paula Bastos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.