PARENTALIDADE DISTRAÍDA E ABANDONO AFETIVO NA ERA TECNOLÓGICA: A MEDIAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO DIREITO DE FAMÍLIA

Alda Adriana Henriques Moreira Miranda

Resumo


Esta monografia trata da nova roupagem de conflitos relacionados ao uso de mídias tecnológicas, mais especificamente àquelas relacionadas à internet, inseridos num contexto familiar contemporâneo repleto de transformações. A parentalidade distraída, bem como a má-administração no uso de tecnologias de mídia e informação por adolescentes e crianças, revelam um novo molde de abandono afetivo, que pode ser fator de contribuição para o aumento de transtornos emocionais, bem como a diminuição da segurança e autonomia de jovens adultos. Utilizando-se de metodologia bibliográfica no aspecto qualitativo, o presente estudo visa a abordagem do instituto da mediação como meio adequado de resolução de conflitos aplicada ao direito de família, em especial no que concerne ao seu emprego de forma que assegure os direitos das crianças e adolescentes quando comprometidos nesses conflitos. Demonstra-se, nesse contexto, indispensável o diálogo contido na mediação. Dessarte, são tratadas as evoluções do direito de família ao longo dos anos e a inserção dos menores na jurisdição brasileira. São abordadas as transformações das famílias brasileiras em detrimento do advento da tecnologia digital e midiática e suas consequências sociais no núcleo familiar e na mentalidade de crianças e jovens. Por fim, faz-se um estudo da mediação, diferenciando-a dos demais métodos de solução de controvérsias, a fim de que se reconheça sua viabilidade e aplicabilidade em casos intrínsecos ao direito de família, no tocante à segurança e estabilidade dos filhos menores inseridos nesse contexto

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.