OFIDISMO: MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

Mariana Machado Mendes Magalhães

Resumo


Os acidentes ofídicos configuram grave problema de saúde pública, devido à sua alta incidência e morbimortalidade associada, principalmente nos países tropicais. O Ministério da Saúde registra mais de 20.000 acidentes por ano, principalmente nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, no período de setembro a março. A maior parte dos acidentes é configurada por serpentes do gênero Bothrops (Jararaca) e pelas Crothalus (Cascavel) e a minoria restante pelos gêneros Lachesis (surucucu, surucutinga) e Micrurus (coral). Quando possível, a identificação da serpente, contribui para qualificar da gravidade, tratamento adequado e prognóstico. As mais variadas manifestações causadas pela intoxicação do veneno das serpentes incluem alterações locais e hemorrágicas, neurotoxidade e nefrotoxidade. A insuficiência Renal Aguda (IRA) é uma complicação relevante do acidente ofídico gerando sequelas definitivas ao paciente. Nesse contexto, os acidentes, tanto nos casos confirmados (identificação do animal) ou duvidosos devem ser tratados com o soro antibotrópico. O objetivo desse trabalho é abordar as principais manifestações clínicas, formas diagnóstica e tratamento no acidente ofídico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.