TRANSTORNO MENTAL COMUM E O USO DE PSICOFÁRMACOS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Danielle Mendes Pinheiro Emerick

Resumo


transtorno mental comum é uma das queixas mais frequentes observadas nos atendimentos realizados na Atenção Primária à Saúde, utilizando-se, como suporte de intervenção, a prescrição de psicofármacos pelo médico, tanto para casos novos, como para o seguimento de cuidado. O presente estudo foi realizado na Estratégia Saúde da Família (ESF) do Bairro São Vicente, no Município de Manhuaçu – Mg - Zona da Mata Mineira. A análise se volta para queixas associadas a transtornos mentais comuns, buscando-se identificar as principais causas de uso de psicofármacos e a definição de principais problemáticas que estariam implicadas no uso dessas medicações no processo de cuidado prolongado dos usuários no território sanitário da unidade básica de saúde. A utilização do matriciamento em saúde mental pela equipe de saúde multiprofissional pode ser implantada como medida de apoio no controle do uso de psicofármacos, principalmente dos benzodiazepínicos, os quais podem trazer prejuízos significativos no uso problongado. Na análise foi utilizado o comparativo de estudos que definem o estado de arte do momento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.