ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL E PREVENÇÃO DE DOENÇAS NO AMBIENTE HOSPITALAR DIRECIONADO A IDOSOS

Matheus Prata Zeferino, Carolayne Santana Rodrigues, Carolina Gomes França, Iara Gomes Evangelista, Kamyla Miranda Anecleto Brandão, Juliana Santiago da Silva

Resumo


O Brasil apresenta um declínio nas taxas de mortalidade e fecundidade, o que explica o processo de envelhecimento populacional. As pessoas que se encontram em estado de hospitalização preocupados com o motivo pelo qual estão internados, não se atentam sobre o zelo que devem ter em relação a saúde oral. a revisão tem como objetivo levantar estudos sobre as condições da saúde bucal dos idosos em hospitais, baseados em análise de artigos científicos e propor medidas a serem tomadas para promover saúde e prevenir doenças bucais. Foi realizado um levantamento literário em publicações online de artigos, dos quais diversos foram analisados e selecionados 39 para a construção do trabalho. Ao se analisar as fontes revisadas, pode-se concluir que a maioria destas, aponta a precária higiene bucal como a principal causa de doenças provenientes da cavidade bucal, como por exemplo quadros de endocardite. Muitos idosos, por já contarem com certa debilitação física, declínio imunológico, emocional sensibilizado, e por se encontrarem em ambiente hospitalar, são mais vulneráveis a invasões bacterianas e sujeitos a uma maior possibilidade de bacteremia.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSEN, W. C.; HORTON, H. L. Parietal lobe abscess after routine periodontal recall therapy. Report of a case. J Periodontol, v. 61, p. 243-247, 1990.

ASSIS, C. Atendimento Odontológico nas UTIs. Rev Bras Odont, v. 69, n. 1, p. 72-75, 2012.

BAEDER, F. M. et al. Condição odontológica em pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Pesq Bras Odontoped, v. 12, n. 4, p. 517-520, 2012.

BARBOSA, K. G. N. et al. A participação das respostas imunológicas nas doenças periodontais. Odontol Clin Cient (Online), v. 11, n. 1, 2012.

BARDAL, P. A. P. et al. Educação e motivação em saúde bucal – prevenindo doenças e promovendo saúde em pacientes sob tratamento ortodôntico. Dental Press J Orthod, v. 16, n. 3, p. 95-102, 2011.

BARROS, S. C.; PIMENTEL, G. G.; BEZERRA, M. M. M. Atuação odontológica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Rev Perionews, v. 5, n. 3, p. 271-275.

BINKLEY, C. et al. Survey of oral care practices in US intensive care units. Am J Infect Control, v. 32, n. 3, p. 161-169, 2004.

BORDIN, D. et al. Fatores associados a internação hospitalar de idosos: estudo de base nacional. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 21, n. 4, p. 1981 – 2256, 2018.

CINTRA, J. N. Risco de endocardite bacteriana no tratamento endodôntico. Investig, v. 14, n. 1, p. 169-174, 2015.

COLUSSI, C. F.; FREITAS, S. F. T. Aspectos epidemiológicos da saúde bucal do idoso no Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 18, n. 5, Rio de Janeiro, p. 1313-1320, 2002.

ELANGOVAN, S.; NALLIAH, R.; ALLAREDDY, V. et al. Outcomes in patients visiting hospital emergency departments. J Periodontol Res, v. 82, n. 6, p. 809-819, 2011.

EWERS, I. et al. Imunologia e envelhecimento. Einstein, v. 6, n. 1, p. 13-20, 2008.

FABRICANT, C.G.; FABRICAN. J, LITRENTA, M.M, MINICK, C.R. Vírus-induced atherosclerosis. J Exp Med, v. 148, p. 335-40,1978.

FILHO, A. I. DE L. et al. Causas de interações hospitalares entre idosos brasileiros no âmbito do Sistema Único de Saúde. Epidemol Serv Saúde, v.13, n.4, 2004.

FREITAS DN, Condições de Saúde Bucal de Idosos Hospitalizados. Prog de Pós-Graduação em Ciênc Odont, 47., Rio Grande do Sul, 2013.

GODOI, A. P. T. et al. Odontologia Hospitalar no Brasil. Uma visão geral. Rev Odont UNESP, v. 38, n. 2, p. 105-109, 2009.

GOMES, SF. Atuação do cirurgião-dentista na UTI: um novo paradigma. Rev Bras Odont, v. 69, n. 1, p. 67-70, 2012.

JANNUZZI, F. F., CINTRA, F. A. Atividades de lazer em idosos durante a hospitalização. Rev Esc Enferm USP, v. 40, n. 2, p. 179- 187, 2006.

JONES, DJ. Oral care and bacteremia risk in mechanically ventilated adults. Heart Lung, v. 60, n. 39, p. 57-65, 2010.

KAHN, S, GARCIA, CH, JUNIOR, JG. Avaliação da existência de controle de infecção oral nos pacientes internados em hospitais do estado do Rio de Janeiro. Ciência Saúde Colet, v. 6, n. 13, p. 1825-1831, 2008.

LIMA. D.C. et al. A importância da saúde bucal na ótica de pacientes hospitalizados. The importance of oral health in the view of inpatients. Ciênc. saúde coletiva, v.16, n.1, Rio de Janeiro 2011.

NEEDLEMAN, I, HYUN-RYU, J, BREALEY, D. The impact of hospitalization on dental plaque accumulation: an observational study. J. Clin. Periodontol, v. 39, n. 11, p.1011-1016, 2012.

NIEUW AMERONGEN, A. V., VEERMAN, E. C. I. Saliva – the defender of the oral cavity. Oral Diseases, v. 8, p. 12-22, 2002.

PADOVANI, AR, MORAES, DP, SASSI, FC. Clinical swallowing assesment in intensive care unit. CoDAS, v. 25, n. 1, p. 1-7, 2013.

PERREIRA DC, SALIBA, NA, GARBIN, AJI. A importância da saúde bucal na ótica de pacientes hospitalizados. Ciência Saúde Colet. 2011.

PILGER, C. et al. Causas de internação hospitalar de idosos residentes em um município do Paraná, uma análise dos últimos 5 anos. Revista de enfermagem da USFM, p. 394-402, 2011.

RABELO, G. D., QUEIROZ, C. I., SANTOS, P. S. S. Atendimento Odontológico ao paciente em unidade de terapia intensiva. Dental care in a patient in intensive care unit. Arq. Med. Hosp. Cienc. Med. Santa Casa São Paulo. 2010; 55 (2): 67-70.

SALIBA, C. A. et al. Saúde bucal dos idosos: uma realidade ignorada. Revista da Associaçäo Paulista de Cirurgiões-Dentistas, V. 53, n. 4, p.279-82, 1999.

SANTOS, PSS, MELLO, WR, WAKIM, RCS, et al. Uso de Solução Bucal com Sistema Enzimático em Pacientes Totalmente Dependentes de Cuidados em Unidade de Terapia Intensiva . Rev. Bras. Ter. Intensiva. 2008; 20 (2): 154-9.

SCHNEIDER, R. H., IRIGARAY, T. Q. O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 25, n. 4, p. 585-593, 2008.

SHINKAI, R. S. A., CURY, A. A. D. B. O papel da odontologia na equipe interdisciplinar: contribuindo para a atenção integral ao idoso. Cad. Saúde Pública, v. 16, n. 4, p. 1099-1109, 2000.

SIDDIQUI, S. Patients readmitted to the intensive care unit: can they be prevented? Int. Arch. Med, v. 6, n. 1, p. 18, 2013.

SILVA, A. L., SAINTRAIN, M. V. L. Interferência do perfil epidemiológico do idoso na atenção odontológica. Rev. Bras. Epidemiologia, v. 9, n. 2, p. 242-250, 2006.

SILVA. J.D.A. et al. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Elderly in long-term institutions: development, living conditions and health. Psicol. Reflex. Crit., vol.26 no.4 Porto Alegre Oct./Dec. 2013.

SIMÕES, A. C. A., CARVALHO, D. M. A realidade da saúde bucal do idoso no Sudeste brasileiro. Ciênc. Saúde coletiva, v. 16, n. 6, p. 2975-4982, 2011.

SLAWSKI, EG. A participação do cirurgião-dentista na equipe das Unidades de Terapia Intensiva UTI. Rev. Perionews, v. 6, n. 1, p. 39-44, 2012.

SOUZA, J. N., CHAVES, E. C. O efeito do exercício de estimulação da memória em idosos saudáveis. Rev Esc Enferm USP, V. 39, N. 1, p. 13-19, 2005.

TEREZAKIS, E, NEEDLEMAN, I, KUMAR, N, et al. The impact of hospitalization on oral health: a systematic review. J. Clin. Periodontol, v. 38, n. 7, p. 628-636, 2011.

TOLEDO, G, CRUZ, I. The importance of the oral hygiene in intensive care unit as a way of prevention of nosocomial infection- sistematic literature review. J. Special Nurs. Care. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.