AVALIAÇÃO DO GRAU DE DISFUNÇÃO DE MEMBROS SUPERIORES NOS IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS EM MANHUAÇU - MG

Guilherme Vieira Borchio Ribeiro, Juliana Santiago da Silva, Gustavo Henrique de Melo da Silva, Tomás Santos Vasconcelos Barros

Resumo


Resumo: INTRODUÇÃO: Com o envelhecimento populacional, ocorreram mudanças no caráter das doenças, apresentando-se nos idosos em geral como crônicas e múltiplas. O sistema locomotor sofre consideravelmente os efeitos do envelhecimento causando prejuízos na funcionalidade e independência dos indivíduos. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo descritivo de uma amostra de 46 idosos institucionalizados em Manhuaçu – MG, utilizando o questionário DASH para avaliar o grau de disfunção do membro superior dos mesmos. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Foi-se observado um elevado grau de disfunção destes pacientes em consequência de elevadas pontuações no escore DASH, os pacientes deste estudo tiveram pontuações semelhantes ou maiores do que a de pacientes com graves acometimentos em membros superiores. CONCLUSÃO: Existe uma grande dificuldade destes idosos em realizarem atividades simples, que podem ser consequência também de outras afecções não ortopédicas. São necessários mais estudos acerca deste tema para uma efetiva intervenção terapêutica nos pacientes.


Texto completo:

PDF

Referências


BORDIAK, F. C. et al. Dolencias patológicas del aparato locomotor em personas mayores: um estúdio de revisión. Educación Física y Deportes Revista Digital, Buenos Aires, v.18, n.184, 2013. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd184/aparelho-locomotor-em-idosos.htm>. Acesso em: 24 mai. 2018.

COELHO, B.S. et al. Comparação da força e capacidade funcional entre idosos praticantes de musculação, hidroginástica e não praticantes de exercícios físicos. Revista brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro. v.17, n.3, p.497-504. 2014. Disponível em: . Acesso em: 24 mai. 2018.

DAVIDSON, J. A comparision of upper limb amputees and patients with upper limb injuries using the Disability of the Arm, Shoulder and Hand (DASH). Disability and Rehabilitation Journal. v.26, n.14/15, p.917-923. 2004.

JESTER, A. et al. Measuring levels of Upper-Extremity Disability in Employed Adults Using the DASH Questionnaire. The Journal of Hand Surgery, by the American Society for Surgery of the Hand. v.30, n.5, p.1074e1-1074e10. 2005.

LIMA-COSTA, M. F. e VERAS, R. Saúde pública e envelhecimento. Cadernos de Saúde Pública, Rio de janeiro. v.19, n.3, p.700-701, 2003. Disponível em: . Acesso em: 24 mai. 2018.

MASCARENHAS, C. H. M. et al. Prevalência e padrão de distribuição de patologias ortopédicas e neurológicas em idosos no Hospital Geral Prado Valadares. Revista Baiana de Saúde Pública. v.32, n.1, p.43-50, 2008. Disponível em: . Acesso em 24 mai. 2018

MARTINS, M. A. et al. Clínica Médica, volume 1: atuação da clínica médica, sinais e sintomas de natureza sistêmica, medicina preventiva, saúde da mulher, envelhecimento e geriatria, medicina física e reabilitação, medicina laboratorial na prática médica, 2.ed. Barueri, SP; Manole, 2016.

ORFALE, A. G. et al. Translation into Brazilian Portuguese, cultural adaptation and evaluation of the reliability of the Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand Questionnaire. Brazilian Journal of Medical and Biological Research. v.38, n.2, p.293-302. 2005. Disponível em: Acesso em: 06 out. 2019.

RODRIGUES, G. S. Terceiro setor: Um estudo das instituições de longa permanência de idosos na microrregião de Manhuaçu/MG. 2018. 33 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Serviço Social) -Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu, Manhuaçu, 2018.

SCHRAMM, J. M. A. et al. Transição epidemiológica e o estudo de carga de doença no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. v.9, n.4, p.897-908, 2004. Disponível em: . Acesso em: 04 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.