AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA EM PROPRIEDADES DE AGRICULTURA FAMILIAR DE MURIAÉ E REGIÃO

Jarbas Cisino Massambe, Kennet Anderson dos Santos Alvarenga, Mariana Cardoso Abreu, Tony Carlos Rodrigues Junior, Larissa Gabrielle Rodrigues, Daniel Callou Tavares

Resumo


Resumo: No meio rural são comuns a captação e a canalização de água para consumo humano, porém frequentemente as águas subterrâneas sofrem contaminação, sendo fonte de transmissão de doenças. O objetivo da pesquisa foi diagnosticar as condições hidrossanitárias das casas dos agricultores de Muriaé, e a qualidade físico-química e microbiológica da água. Foram selecionadas aleatoriamente dez minas e/ou poços de água em pequenas propriedades do município de Muriaé. As amostragens foram realizadas preferencialmente no interior das residências, no local do consumo. Em casos de residência com sistemas de armazenamento de água, coletou-se também antes da chegada à caixa de armazenamento. As amostras foram coletadas com o auxílio de um frasco plástico previamente esterilizado. As análises físico-químicas e microbiológicas avaliaram o aspecto visual, turbidez, cor, pH, os coliformes totais, coliformes fecais e as bactérias heterotróficas. Os agricultores foram entrevistados sobre os usos da terra e da água, histórico das nascentes e percepção da qualidade da água. Foram detectados níveis variáveis de turbidez (0,13 ut a 8,34 ut), de cor (0 a 55 uH), pH (5,32 a 6,46), coliforme total (22 a 9.200NMP/mL), Coliforme Fecal (<2 a 6,8 NMP/mL) e bactérias heterotróficas (<1 a 60000 UFC/mL). Apesar da percepção dos moradores rurais apontar para uma boa qualidade das águas, os resultados obtidos nas análises de laboratório, a princípio, não implicam na potabilidade da água analisada, mesmo quando inexiste atividade agropecuária no entorno.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.