CUIDADOS PALIATIVOS NA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AVANÇADA: RELATO DE CASO

Julia Esteves de Moraes, Ana Carolina Dondoni Fávero, Arthur Oliveira Pinheiro, Fernanda Caldeira Ferraz Batista, Lara Morello de Paulo, Vinicius Pedro de Almeida Valentim

Resumo


Resumo: A insuficiência cardíaca (IC) é uma enfermidade complexa e muito comum na cardiologia, podendo ser aguda ou crônica. Seus principais sintomas são: dispneia, fadiga, cansaço ao esforço, ortopneia e dispneia paroxística noturna.  Estima-se que, atualmente, mais de 26 milhões de pessoas são afetadas pela IC no mundo. O presente artigo traz um relato de caso de um paciente com IC crônica em fase terminal, devido um infarto agudo do miocárdio sofrido há 26 anos. Discutiu-se também sobre a implementação e os benefícios de cuidados paliativos em paciente terminal, que visam melhorar a qualidade de vida e dar suporte às dores físicas e traumas psicológicos do doente. Além disso, o suporte oferecido pelos cuidados paliativos direciona-se não só ao enfermo, mas também à sua família, visando conscientizá-los sobre a aceitação da morte como um seguimento natural da vida.


Texto completo:

PDF

Referências


Freitas AKE, Cirino RHD. Manejo Ambulatorial Da Insuficiência Cardíaca Crônica. Rev. Med. UFPR. v.4, n.3, p.123-136, 2017.

Comitê Coordenador da Diretriz de Insuficiência Cardíaca. Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Crônica e Aguda. Arq Bras Cardiol. v.111, n.3, p.436-539, 2018.

Ponikowski P, Voors AA, Anker SD, Bueno H, Cleland JGF, Coats AJS. 2016 ESC Guidelines for the diagnosis and treatment of acute and chronic heart failure. European Heart Journal. v.37, n.27, p.2129–2200, 2016.

Stuart MDB. Palliative Care and Hospice in Advanced Heart Failure. Journal of Palliative Medicine. v.10, n.1, p.210-228, 2007.

Murray SA, Kendall M, Boyd K, Sheikh A. Illness trajectories and palliative care. BJM. v.330, n.7498, p.1077-1011, 2005.

Weeks JC, Cook EF, O’Day SJ, Peterson LM, Wenger N, Reding D, et al. Relationship Between Cancer Patients' Predictions of Prognosis and Their Treatment Preferences. JAMA. v.279, n.21, p.1709-1715, 1998.

Organização Mundial da Saúde. Cuidados Paliativos. INCA. Brasília: Ministério da Saúde (BR); 2002.

Sepúlveda CMD, Marlin AMPH, Tokuo YMD, Ullrich AMD. Palliative Care:

The World Health Organization’s Global Perspective. Journal of Pain and Symptom Management. v.24, n.2, p.91-96, 2002.

Macdonald N. Redefining symptom management. Journal of Palliative Medicine. v.5, n.2, p.301-304, 2002.

Connor SR, Pyenson B, Fitch C, Spence C, Iwasaki K. Comparing hospice and nonhospice patient survival among patientswho die within a three year window. J Pain Symptom Manage. v.33, n.3, p.238-246, 2007.

Rodrigues A, Guerra M, Maciel MJ. Impacto do stress e hostilidade na doença coronária. Rev. SBPH. v.13, n.1, p.107-135, 2010.

Carvalho, RT, Parsons, HA. Manual de Cuidados Paliativos. Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP). p.56-71, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.