RELATO DE CASO: AS COMPLICAÇÕES DE DIAGNÓSTICO TARDIO DE APENDICITE

Luísa Sandrini Mansur de Rezende, Ana Clara Duarte Grafanassi, Carolina Amorim Ribeiro, Juliana Cordeiro Carvalho, Râynne Magjon Fernandes Sampaio, Ruston Da Matta Louback Filho

Resumo


A apendicite é a causa de abdome agudo mais comum na urgência que requer intervenção cirúrgica, ela se caracteriza por obstrução apendicular e cursa, comumente, com dor no quadrante inferior direito do abdômen. O diagnóstico é essencialmente clínico, sendo que, na pediatria, a história natural é pouco evidente e a evolução é rápida, tornando suas complicações mais presentes, nesse contexto, a intervenção cirúrgica se torna cada vez mais complexa com o decorrer do tempo. O diagnóstico tardio gera o atraso do início do tratamento, prolongando o sofrimento desses indivíduos, bem como podendo leva-los a óbito. Nessa análise, o objetivo do relato de caso é apresentar um paciente de oito anos que foi atendido por uma inflamação na garganta, retornando após doze dias com apendicite necrosada, supurada e com abcesso pélvico, sendo submetido a mais de uma laparotomia, devido a complicações como obstrução intestinal. Assim esse relato exibiu a complexidade decorrente de um diagnóstico tardio de apendicite e de um atendimento que não considera o paciente como um todo.


Texto completo:

PDF

Referências


FREITAS, PAULO ALVIM DE FREITAS. Apendicite Aguda. In: FREITAS, PAULO ALVIM DE

FREITAS. Primeira Clínica Cirúrgica. 2013. Artigo Científico (Medicina) - Hospital das Clinicas, São Paulo, 2013. p. 8. Disponível em: file:///D:/Downloads/61634-Texto%20do%20artigo-79697-1- 1020130902.pdf. Acesso em: 14 out. 2019.

FREITAS, Roberto G. de et al. Apendicite Aguda. Revista HUPE, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, Jan/Jun 2009. Disponível em: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=16. Acesso em: 11 out. 2019.

IAMARINO, ANA PAULA MARCONI et al. Fatores de risco associados às complicações de apendicite aguda. Rev. Col. Bras. Cir., Rio de Janeiro, v. 44, n. 6, p. 560-566, Dez. 2017.

MATOS, Breno et al. Apendicite Aguda. Rev Med Minas Gerais, Minas Gerais, p. 21(2 Supl 4): S1S113, 2011. Disponível em: file:///D:/Downloads/v21n2s4a09.pdf. Acesso em: 14 out. 2019.

NUNES, M. C. et al. Apendicite aguda perfurada com complicações pós operatórias: relato de caso. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/RFCMS/article/view/24773/0. Acesso em: 12 out. 2019.

NUTELS, Diogo Braga de Albuquerque; ANDRADE, Ana Catarina Gadelha de; ROCHA, Amaurí Clemente da. Perfil das complicações após apendicectomia em um hospital de emergência. ABCD, arq. bras. cir. dig. São Paulo, v. 20, n. 3, p. 146-149, Set. 2007.BN

SCHWEITZER, L. C. Apêndice aguda complicada na criança: antibioticoterapia em doses múltiplas versus dose única diaria. Repositório UFSC, Santa Catarina, p. 16-42, 2008. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/119411/255418.pdf%3Fsequence%3D1&ved=2ahUKEwiptM3Uq8rlAhXUCtQKHcuyARIQFjAMegQIBhAB&usg=AOvVaw1IpsvUN-xC8QFlRYLwNPAg. Acesso em: 2 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.