ACESSO VENOSO POSSÍVEIS EM PEDIATRIA

José Carlos Laurenti Arroyo, Sergio Alvim Leite

Resumo


O acesso venoso define-se por canulação venosa central o posicionamento de um dispositivo de acesso vascular de forma que a sua extremidade atinja a veia cava inferior ou superior. Esse estudo objetivou-se caracterizar os possíveis acessos venosos utilizados na população infantil. Trata-se de uma revisão bibliográfica de caráter descritivo, exploratório e as bases de dados pesquisadas: Google Acadêmico, LILACS e SCIELO. Foram estabelecidos os critérios de inclusão: artigos publicados no período de 2000 a 2019, os critérios de exclusão: os artigos e periódicos publicados antes de 2000 e os quais não se relacionavam com os descritores estabelecidos na pesquisa. É importante escolher o local onde o procedimento será realizado para um tratamento e com segurança e eficaz no Recém-Nascido (RN) foi pesquisado os possíveis acessos venosos na literatura. Para caracterizar os possíveis acessos venosos foi encontrado que a primeira escolha para a realização do acesso venoso é através das veias tributárias da veia cava superior, das veias jugulares externa e interna, veia subclávia, veia auxiliar e a veia basílica. Existem outros acessos como intraósseo que é utilizado em emergências pediátricas quando está impossibilitado de realizar outros tipos de acesso como acesso venoso central, periférico e umbilical.


Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, L. F. A. Acesso Venoso Central em recém-nascidos: inserção periférica versus dissecção venosa. Recife. 2008. Tese de Doutorado. Dissertação. [Mestrado em Saúde da Criança e do Adolescente] -Universidade Federal de Pernambuco.

ARAÚJO, Sebastião. Acessos venosos centrais e arteriais periféricos-Aspectos técnicos e práticos. Revista Brasileira Terapia Intensiva, v. 15, n. 2, p. 70-82, 2003.

CHEHUEN NETO, José Antonio; CASTRO, João Paulo; MOREIRA, Igor. Acessos Venosos Centrais. In: CHEHUEN NETO, José Antonio. Fundamentos e práticas da técnica cirúrgica. Curitiba: Crv, 2016. Cap. 18. p. 273-306.

CONCEIÇÃO, Taynara Bisco. CONSTRUÇÃO DE UM BUNDLE PARA A INSERÇÃO DE CATETERES INTRAVENOSOS PERIFÉRICOS EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS. Anais Seminário de Iniciação Científica, n. 22, 2019.

DI SANTO, Marcelo Kalil et al. Cateteres venosos centrais de inserção periférica: alternativa ou primeira escolha em acesso vascular?. Jornal vascular brasileiro, v. 16, n. 2, p. 104, 2017.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 176 p. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2019.

GISMONDI, Ronaldo. Acesso profundo e PAM: tabela com riscos e medidas preventivas - PEBMED. 2018. Elaborado por Ronaldo Gismondi dia 15/10/2018. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2019.

KREMER, Vilani; RIBEIRO, Rodrigo Chaves; OLIVEIRA JÚNIOR, Wilson Elias de. O ESTADO DA ARTE DO ACESSO VENOSO CENTRAL EM PEDIATRIA. 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.

LEMOS, Lidiane; SAKAE, Thiago Mamôru; CALANDRINI, A. F. Utilização do acesso venoso central em pacientes entre 0 e 2 anos da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e Pediátrica em Tubarão–SC. Arq Catarin Med, v. 37, n. 3, p. 58-65, 2008.

NERY, Breno. Emergência: “Doutor, não há acesso venoso!”. 2017. Elaborado por Dr. Breno Nery dia 21 de julho de 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.

PROCIANOY, Renato S.; LEONE, Cléa R. Programa de Atualização em Neonatologia (PRORN): Acesso venoso em recém-nascidos. Porto Alegre: Artmed, 2004. 41 p. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2019.

ROCHA, Gustavo. Acessos vasculares no recém-nascido. 2018. Escrito por Dr. Gustavo Rocha no dia 11/04/2018. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2019.

SA, Ricardo Américo Ribeiro de et al. Acesso vascular por via intraóssea em emergências pediátricas. Rev. bras. ter. intensiva, São Paulo, v. 24, n. 4, p. 407-414, Dec. 2012. Available from . access on 20 Oct. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2012000400019.

SOARES, Patricia Rodrigues. O conforto da criança hospitalizada em uma unidade de terapia intensiva pediátrica: perspectiva da família e dos profissionais de enfermagem. 2018.

VIDAL, Aparecida Freire (Org.). A terapia intravenosa em recém-nascido, criança e idoso: descobrindo particularidades. 2016. Disponibilizado por Aparecida Freire Vidal. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.