LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS NA CIDADE DE MANHUAÇU

Mayza Domiciano Araujo

Resumo


A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é considerada um problema de saúde pública, que segundo a Organização Mundial de Saúde apresenta notificação compulsória em 30 países. O Brasil está entre os 6 países que abrangem 90% dos casos de LTA mundialmente. A LTA é uma doença cutânea não contagiosa causada por um protozoário do gênero Leishmania, que gera pápulas na pele ou mucosas. O objetivo do presente artigo é fazer o levantamento dos dados relacionados a incidência da LTA e analisar as características epidemiológicas e clinicas dos pacientes notificados e confirmados para LTA na cidade de Manhuaçu, MG, entre janeiro de 2010 e dezembro de 2019. Essa é uma área endêmica para leishmaniose, visto que apresenta áreas de desmatamento para o cultivo do café, o que propicia a disseminação do vetor. Trata-se de um estudo observacional retrospectivo, de caráter descritivo, e abordagem quantitativa de casos confirmados de Leishmaniose Tegumentar Americana em Manhuaçu. Os dados relacionados ao estudo foram obtidos através da base de dados epidemiológicos do Ministério da Saúde. Foram notificados um total de 246 casos no período escolhido. A análise dos dados permitiu observar que essa ainda é uma patologia predominantemente de caráter ocupacional, visto que atinge em sua maioria homens entre 20 a 59 anos, os quais trabalham na zona rural. Pode-se dizer também que a característica epidemiológica desta parasitemia está mudando, visto que foram notificadas pessoas de todas as idades e de ambos os sexos, as quais moram tanto em área rural quanto urbana.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.