CONFECÇÃO DE RESTAURAÇÕES CERÂMICAS: UMA REVISÃO DOS MÉTODOS DE PROCESSAMENTO

Karolany Aparecida Rodrigues

Resumo


O uso constante das cerâmicas na Odontologia se dá devido às suas
propriedades estéticas e funcionais. Esses materiais são processados a partir de
técnicas como a estratificação, infiltração de vidro (slip-cast), injeção/prensagem ou fresagem/usinagem (Computer-Aided Design/Computer-Aided Manufacturing – CAD/CAM). Dessa forma, o objetivo dessa revisão de literatura é abordar as formas de confecção de restaurações cerâmicas, revisando seus métodos de
processamento, enfatizando as cerâmicas usadas a nível laboratorial, seja de forma manual ou através do sistema digital (CAD/CAM). Foi realizada uma busca nas bases de dados eletrônicas como PubMED/Medline, Scielo e Google acadêmico, onde foram selecionados 23 artigos publicados entre 2011 e 2020, a partir de critérios de inclusão ao tema do trabalho e relevância aos que se enquadram ao enfoque do trabalho. Graças às suas propriedades bastante favoráveis, as cerâmicas têm ganhado grande destaque na Odontologia para realizar restaurações indiretas. Cada método de processamento cerâmico para confecção de restaurações indiretas é determinado pela escolha da cerâmica pelo clínico, pois cada tipo de cerâmica exige um método de processamento que é o mais adequado para suas propriedades. A estratificação é o método mais utilizado em laboratórios protéticos e o sistema CAD/CAM possibilita fazer o tratamento em sessão única, porém, apresenta maior custo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.