DOENÇA DE RIGA-FEDE: INTERVENÇÕES ODONTOPEDIÁTRICAS

Juliana Alvim Werner

Resumo


Uma das etapas fisiológicas naturais são as irrupções dentarias que tem início aproximado entre os seis meses de vida do ser humano, no entanto, rotineiramente são descritos casos em que recém-nascidos apresentam elementos dentários parciais ou completamente irrompidos no rodete gengival antes do tempo caracterizado como normal. A doença de Riga-Fede é caracterizada por uma úlcera na região ventral da língua de recém-nascidos, causada pelo contato frequente da língua nos dentes irrompidos precocemente, como os dentes natais ou neonatais. Essa lesão pode interferir na alimentação, o que coloca o recém-nascido em riscos ao desmame precoce, desidratação, deficiências nutricionais e irritabilidade. A doença tende a surgir até os dois anos de idade, após os 2 anos, é considerado como Riga-Fede tardia. A pesquisa se baseou em uma revisão de literatura, resultando entre 2009-2021 no banco de dados do Google Acadêmico, PubMed, LILACS e SciElo. Concluiu-se que o primeiro contato normalmente é do médico pediatra e o mesmo deve encaminhar para o odontopediatra, que é o responsável por diagnosticar os desvios de erupção e ou problemas na cavidade bucal da criança.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.